terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Afinal qual é a real função dos padrinhos de batismo nos dias de hoje?

Crédito da Imagem: migalhas.com.br


A tradição de batizar a criança na Igreja Católica está profundamente inserida na nossa sociedade desde os tempos mais antigos.

Hoje o acontecimento só se realiza por desejo e vontade dos pais, pois não há qualquer lei que obrigue uma criança a ser batizada.

Batizar uma criança e escolher os padrinhos não deve ser feito por via do acaso, os pais devem levar em conta a proximidade com estas pessoas e compactuar do mesmo método de educação; lembrando que a função de padrinhos não é meramente honorífica, estes têm a responsabilidade de tomar a seu cargo o acompanhamento da criança na vida religiosa.

Os padrinhos acabam por ser na teoria uma espécie de segundos pais para a criança. Nos momentos de alegria e tristeza os pais, bem como os padrinhos, devem estar ao lado do(a) seu(ua) afilhado(a) dando-lhes força e carinho, por isto a relação de compadres deve ser de afeto e confiança.

Se a sua escolha recair sobre a família, os pais devem escolher um elemento da família pelo lado da mãe e outro pelo lado do pai, para que sejam evitadas quaisquer confusões ou desavenças familiares. 

Ainda que os padrinhos possam representar um papel importante na vida da criança de maneira alguma devem interferir na educação da mesma. O seu papel é orientar, ajudar e demonstrar todo o apoio necessário na prática da religião seja ela qual for, mas nunca tentar conquistar a sua exclusiva atenção ou afastá-la dos seus pais, pois isto dará origem a uma situação constrangedora para ambas as partes. 

Os padrinhos devem ter em mente a sua real função e limites correspondentes para não caírem em abusos desnecessários, devem também levar uma vida de acordo com a fé, de novo, não importando a religião que seguem, têm apenas que dar bons exemplos para que a criança possa seguir.

Vale lembrar que não há nenhum tribunal do mundo que se guie pelo fato de alguém ser padrinho para lhe atribuir à guarda do menor. Os padrinhos não são uma figura jurídica, mas sim católica; não têm qualquer validade para efeitos civis.

Espero ter esclarecido um pouco esta questão que gera muitas dúvidas nos dias de hoje,

Alessandra

Para continuar lendo sobre batismo clique aqui.

Fontes de Pesquisa:

16 comentários:

  1. ótimo artigo bem aproveitoso!! Me tirou algumas dúvidas sobre essa questão!!

    Tenha um ótima terça feira!!

    abraços!
    Roger

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roger !
      É um assunto bem polêmico e que gera muita dúvida nos dias de hoje, por isto resolvi escrever, não entrei muito nos detalhes de roupas e presentes para não deixar a matéria cansativa.
      Ótima semana para você!
      Leleka

      Excluir
  2. Olá, lindo texto, eu fui batizada, porém acho que gando tiver um filho não vou batiza-lo, mais vou sim apresenta-lo na igreja!

    Grande abraços! seguindo seu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vivi,
      Também fui batizada e batizei meus 2 filhos, mesmo não frequentando mais a igreja católica.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijinhos
      Leleka

      Excluir
  3. Fui batizada e meus filhos tbm serão. Mas terão total liberdade de mudar de religião quando quiserem.
    Post muito informativo. Adorei.
    Tem selinho pra vc no blog, passa lá.
    beijos
    http://yessomosdivas.blogspot.com/2012/02/selinhos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Danny,
      Partilho da mesma opinião, fui batizada e meus filhos também foram e assim como eu fiz poderão mudar a sua religião, só é mandatório ter uma.
      Acredito que a católica é a base de todas, porém o respeito as outras é fundamental.
      Que honra, meu 1º selinho! Vou lá, obrigada!
      Beijinhos
      Leleka

      Excluir
  4. Fui batizado na igreja católica ,
    mas hoje não sou mais católico e meus filhos foram "batizados" nessa religião que sigo .
    Mas acho importante o batismo . Respeito muito a fé de cada um e se a pessoa é católica ou não tem uma religião definida que se faça o batismo católico que é muito válido .

    Li um comentário de alguém dizendo que Deus protege todo mundo , mas não é bem assim , nós temos que fazer a nossa parte .

    Também li outro que diz que criança não tem pecado . Também não concordo , por que enquanto se é criança , fica sob a tutela dos pais e portanto o mal acaba refletindo na criança . O batismo é muito importante também neste sentido . Além do mais o batismo também serve para educar religiosamente uma criança .

    abs
    Francisco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Francisco!
      Meu marido e eu também fomos batizados na Igreja Católica, assim como nossos filhos, mesmo EU não seguindo mais esta religião.
      Assim como você, acredito também que o catolicismo é a base, para quem ainda não tem uma religião definida, por isto iniciei meus filhos nela.
      Minha mãe sempre me disse, depois da 1º comunhão siga a religião que quiser, só não pode ficar sem e o mais importante respeite todas acima de tudo!
      Obrigada pelo comentário e boa semana!
      Leleka

      Excluir
  5. moro no Rn, tenho 30 anos, isso aqui eh mais um desabafo. pois meu padrinho eh ausente, sinto falta dele,meu pai nao me fala nada qdo pergunto, meu padrinho mora no rj em macae.gostaria de saber se o padrinho de batismo pode largar a afilhada depois que ela fica adulta?essa função de padrinho nao eh pra vida toda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Claudia,
      Partilhamos da mesma opinião, o meu padrinho até sei por onde anda, mas ele nunca me procurou e não vejo deve ter 30 anos rsrs
      É triste porque acredito que o padrinho é para sempre.
      Obrigada por partilhar este desabafo conosco!
      Leleka

      Excluir
    2. Olá Claudia Medeiros, sou católica e participativa em varias pastorais na igreja entre elas a catequese e ministra eucarística. Afirmo com toda certeza que padrinhos são sim para toda a vida, porem as pessoas mudam muito seus pensamentos e maneira de viver, abandonando muitas coisas em suas vidas, infelizmente. Se você é católica uma maneira de melhorar esta situação na sua vida e se sentir mais amada é fazer o Crisma. Este sacramento é a confirmação do seu batismo pois para a igreja com 14 anos já temos a maturidade de assumir essa responsabilidade e renovamos nossas promessas de batismo por conta própria, quando pequenos nossos pais fazem isso por nós, sendo assim você também tem a responsabilidade e liberdade de escolher sua madrinha ou padrinho, do qual te acompanhará pela vida toda junto com seus pais. Ele não tira o espaço do seu padrinho de batismo mas no seu caso vai amenizar muito a ausência dele. Então escolha muito bem este padrinho ou madrinha, que seja seu exemplo na vida tanto religiosa como civil. Espero ter ajudado você e confortado seu coração.
      Leleka, que bom você ter esse pensamento pelas religiões, eu também compartilho dele, minha trajetória é oposta a sua, venho de uma família materna evangélica e paterna católica, mas escolhi ser católica quando adulta e assim como você acho também que o respeito pelas religiões é muito importante. Parabéns pela sua atitude de respeito, você é verdadeiramente cristã.
      Fiquem na paz de Cristo!
      Beijos mil
      Gisele

      Excluir
  6. Olá queridos...
    Bem falado sobre afeto, carinho, proximidade entre pais, padrinhos e afilhados, apenas acho importante que a religião dos pais e padrinhos seja o cristianismo vendo que o batismo é um sacramento cristão. Ensinamento deixado por Cristo e é seguido por aqueles que creem e seguem seus ensinamentos. Batizar seu filho é a reafirmação da fé em Jesus Cristo. Como nos dias de hoje existe diferentes religiões acho mesmo que devemos respeitar a fé e decisão de cada um, apenas estou expondo minha opinião o que eu trago pra minha vida, minha realidade. Bjs e espero ter acrescentado nesse tema que já foi bem abordado.

    ResponderExcluir
  7. Temos que respeitar todas as religiões! Porém, ao batizar os filhos na Igreja Católica Apostólica Romana deve-se seguir as normas para tal. Por exemplo, os pais da criança podem ser de outras religiões, mas os padrinhos devem ser católicos de fato, praticantes da fé, pois são os padrinhos que irão conservar a criança na fé na qual ela foi batizada, ou seja, a fé da Igreja Católica Apostólica Romana.

    Para esclarecer aqueles que irão batizar seus filhos na Igreja Católica, aconselho ler a parte do Direito Canônico sobre o batismo, afinal se queremos introduzir nossos filhos no catolicismo precisamos seguir as regras da Instituição!!!

    Deus nos abençoe!!!

    ResponderExcluir
  8. Assim diz o Código de Direito Canônico:

    §872. Ao batizando, enquanto possível, seja dado um padrinho, a quem cabe acompanhar o batizando adulto na iniciação cristã e, junto com os pais, apresentar ao batismo o batizando criança. Cabe também a ele ajudar que o batizado leve uma vida de acordo com o batismo e cumpra com fidelidade as obrigações inerentes.

    §873. Admite-se apenas um padrinho ou uma só madrinha, ou também um padrinho e uma madrinha.

    §874. § 1. Para que alguém seja admitido para assumir o encargo de padrinho, é necessário que:

    1° seja designado pelo batizando, por seus pais ou por quem lhes faz as vezes, ou, na falta deles, pelo próprio pároco ou ministro, e tenha aptidão e intenção de cumprir esse encargo;

    2° Tenha completado dezesseis anos de idade, a não ser que outra idade tenha sido determinada pelo Bispo diocesano, ou pareça ao pároco ou ministro que se deva admitir uma exceção por justa causa;

    3° Seja católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir;

    4° Não tenha sido atingido por nenhuma pena canônica legitimamente irrogada ou declarada;

    5° – Não seja pai ou mãe do batizando.

    Nota:

    Fora das condições do § 1, que são requeridas pela própria natureza das coisas, não parece que as qualidades expressas neste cânon afetem à validade, mas apenas à liceidade da designação do padrinho.

    O § 2 é mais restritivo do que o no. 98,

    b) do Diretório Ecumênico, pois lá se permite que os Orientais que não estão em comunhão plena com a Igreja católica desempenhem o papel de verdadeiros padrinhos (não só de testemunhas), no batizado católico.

    874 § 2. O batizado pertencente a uma comunidade eclesial não-católica só seja admitido junto com um padrinho católico, o qual será apenas testemunha do batismo.

    875 Se não houver padrinho, aquele que administra o batismo cuide que haja pelo menos uma testemunha, pela qual se possa provar a administração do batismo.

    ResponderExcluir
  9. Indico esse ótimo site: https://padrepauloricardo.org/

    e ainda: http://cleofas.com.br/condicoes-para-padrinhos-de-batismo/

    Beijos!!!

    ResponderExcluir

Deixe um comentário, uma sugestão ou crítica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...