terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Hepatites A, B e C: transmissão, sintomas, diagnósticos, prevenção e tratamentos

Hepatite A

Durante a estação mais quente do ano, o número de vítimas do vírus da Hepatite A aumenta muito. Isso porque o perigo se esconde na água. Para que o vírus se instale, basta dar um mergulho no mar e engolir umas gotinhas infectadas de água ou mastigar pedras de gelo feito com água de fonte contaminada.

Transmissão: por via oral, principalmente por meio da água e de alimentos contaminados com o vírus. Trata-se de uma doença altamente transmissível de uma pessoa para outra por saliva, sangue e contato sexual.

Sintomas: náusea, diarreia, vômito, dor nas articulações, escurecimento da urina e amarelamento da pele e da parte branca dos olhos.

Diagnóstico: via exame de sangue específico.

Tratamento: A Hepatite A é considerada benigna, ou seja, em 99% dos casos o fígado se recupera. Por isso, a vacina para essa doença não faz parte do programa de vacinação oferecido pelo Ministério da Saúde. Remédios para náuseas e vômitos são receitados, além de repouso e uma alimentação leve.

Hepatite B

Mais da metade da população mundial já foi contaminada pelo vírus do tipo B e nem imagina. Assim como os outros tipos de Hepatite, este avança sem dar sinais: o vírus pode ficar quietinho por até três décadas.

Transmissão: A Hepatite B é muito transmissível pelo sexo, muito mais contagiosa do que o vírus da Aids. O contato com sangue contaminado também pode infectar.

Sintomas: os sinais são bem raros. Quando eles aparecem o doente costuma apresentar cansaço, moleza, perda de apetite e febre.

Diagnóstico: via exame de sangue específico.

Tratamento: nos postos do Sistema Único de Saúde é possível tomar uma vacina contra esse mal, mas ela está à disposição apenas para pessoas de até 19 anos. Em metade dos casos, a doença se manifesta e desaparece sozinha, sem que o paciente necessite de tratamento. Menos de 5% dos casos evoluem para a forma crônica, que não tem cura. Nesse estágio, ela pode ser controlada com medicação para evitar que se transforme em cirrose ou câncer de fígado, às vezes,  e muitos anos depois.

Hepatite C

Segundo o Ministério da Saúde, a Hepatite C é a mais mortal doença infecciosa do país - mais do que a Aids. Apenas 20% das pessoas infectadas desenvolvem imunidade e 80% se tornam portadoras crônicas.

O que pouca gente sabe é que até mesmo um inofensivo vidro de esmalte de unhas pode manter vivo, por 15 dias, o silencioso vírus desta doença, conforme já informado na matéria anterior.

Transmissão: no tipo C, o perigo está no sangue. O vírus é transmitido por alicates, agulhas e outros instrumentos cortantes infectados. A contaminação por contato sexual pode ocorrer, mas é rara.

Sintomas: na maioria dos casos não existem sintomas. Quando eles surgem, são os mesmos da Hepatite A.

Diagnóstico: via exame de sangue específico.

Tratamento: não há vacina, mas as drogas existentes curam oito de cada dez pacientes crônicos. O tratamento é feito com remédios que fortalecem o sistema imunológico e ajudam a combater a inflamação crônica no fígado.

Importante: as vítimas da Hepatite C devem eliminar bebidas alcoólicas para sempre, os portadores têm três vezes mais chance de contrair cirrose hepática do que os não contaminados.



Previna-se da Hepatite

1.   Beba somente água filtrada: se for a um restaurante ou local público, evite bebidas com pedras de gelo.
2.   Lave sempre as mãos com água e sabão e ensine a seus filhos esse hábito higiênico.
3.   Lave os alimentos, se possível com bucha e sabão, e deixe-os de molho por uns minutos em solução de cloro ou vinagre.
4.   Cozinhe bem os frutos do mar.
5.   Use sempre camisinha.
6.   Leve seu próprio esmalte e alicate para a manicure - é grande o risco de alguma cliente anterior ter a doença. O vírus da Hepatite C sobrevive 15 dias no esmalte e 7 dias no sangue seco.
7.   Não deixe que as crianças cultivem a mania de levar os dedos à boca.
8. Se você ou seu filho fizerem tatuagem ou colocarem piercing, certifiquem-se de que os instrumentos usados pelo profissional são descartáveis. A mesma dica vale para quem faz acupuntura.
9.  Se algum parente teve Hepatite A separe os objetos pessoais do doente, como alicate de unha, gilete, escova de dente, lâmina de barbear, pratos e talheres. Deixe-os fora do alcance de outras pessoas. Lembre-se também de jogar formol no vaso sanitário para desinfetá-lo.
10. Não compartilhem seringas e/ou agulhas, use sempre materiais descartáveis.
11. Evite abusar de bebidas alcoólicas e medicamentos, como antibióticos e anti-inflamatórios. Eles sobrecarregam o fígado e podem fazer mal à saúde.

Espero ter ajudado, e na dúvida sempre consulte um médico, ele é seu melhor amigo !

Alessandra


Fonte de Pesquisa:
MDE Mulher

7 comentários:

  1. Um ótimo tema pra servir de alerta. Peça sempre no exame preventivo colesterol, tiróide, acido úrico e hepatite... Pois são doenças silenciosas que atacam nosso organismo. Minha mãe faleceu de cancer no fígado decorrente da cirrose da hepatite C. Quando os sintomas apareceram já é tarde demais.
    Parabéns Alê por mais uma matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra,
      Nossa não sabe o quanto fico feliz de receber mensagens como esta.
      Meu intuito é exatamente este, ajudar as pessoas, alertando sobre os males invisíveis.
      Obrigada por ser minha seguidora e comentarista oficial!
      Beijinhos,
      Alê

      Excluir
  2. gostei muito! mais queria da hepatite normal mas me ajudou muito:)

    ResponderExcluir
  3. Vc ajudou muito na minha pesquisa da escola viiu, ficou bem resumido vlw !

    ResponderExcluir
  4. quando a infecção por hepatite A é recente o Igm continua reativo ou só o Igg fica reativo e o Igm fica negativo alguém pode tirar minha duvida?

    ResponderExcluir
  5. Oiee..me ajudou mto maiis vcs nn colocaram a prevençao.....mais ajudou mto Obgd :))

    ResponderExcluir
  6. me ajudou no meu trabalho de biologia obrigada<3

    ResponderExcluir

Deixe um comentário, uma sugestão ou crítica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...