quinta-feira, 24 de maio de 2012

O uso excessivo do shoyu pelos brasileiros


Um dia minha mãe me ligou e disse que uma das instruções do médio era que diminuísse a quantidade de molho shoyu devido à elevada quantidade de sal, isto me deixou encafifada então resolvi pesquisar mais sobre o assunto.

Fiz uma pesquisa no Proteste e lá encontrei uns testes feito por eles que achei bastante interessante sobre o shoyu, produtos feitos à base de pimenta e o molho inglês:

*      Shoyu: apenas uma colher de sopa de molho shoyu traz quase toda a quantidade de sódio que um adulto deveria ingerir em um almoço. As crianças devem passar longe de pratos com ele.
Marcas analisadas: Kitano, Carrefour e Sakura

*      Inglês: uma colher de sopa representa entre 6% e 16% das necessidades de sódio de um adulto em um almoço.
Marcas analisadas: Kitano, Chinezinho e Kenko

*      Pimenta: uma colher de sopa de molho de pimenta tem entre 11% e 22% das necessidades de sódio de um adulto em uma refeição. É uma opção se você gosta de comida picante, pois a substância que dá o ardido na pimenta apresenta os seguintes benefícios:
- Alivia dores de cabeça;
- Controla níveis de glicose no sangue;
- Aumenta a capacidade pulmonar;
- Ajuda no tratamento de rinite.
Marcas analisadas: Kitano, Chinezinho e Knorr

Conclusões: O resultado da análise do rótulo de nove molhos, três de cada tipo, para indicar uma alternativa mais saudável à nossa alimentação foi que, o molho shoyu tem sódio demais, o inglês nem tanto e o de pimenta pode fazer bem para a sua saúde. Prefira sempre os alimentos que trouxerem menos sódio, o excesso de sódio causa hipertensão (vide matéria sobre pressão alta clicando aqui).

ATENÇÃO: Evite produtos com aditivos (glutamato monossódico, por exemplo), pois podem causar alergias em pessoas sensíveis. E, se o benzoato de sódio estiver na lista de ingredientes, o molho deve ser evitado por crianças. Este conservante pode causar hiperatividade infantil. Prefira os com sorbato de potássio.

Qual o papel do shoyu, do nabo, do gengibre e do wasabi

Estes complementos da culinária japonesa não estão apenas relacionados aos sabores, mas também à saúde.

O nabo tem uma enzima que facilita a digestão, e as lascas são para serem comidas entre um e outro sashimi, para que o paladar se renove e que se sinta a diferença. Entre os peixes (no caso dos sushis), quem faz o papel do nabo é o gengibre.

O wasabi acelera o processamento do peixe cru no aparelho digestivo, garantindo que ele seja eliminado antes de, literalmente apodrecer.

O shoyu provoca a fermentação do alimento, fazendo com que ele chegue à boca "pré-digerido".

Gafes mais cometidas pelos brasileiros

Uma das gafes mais cometidas pelos brasileiros em restaurantes japoneses é exagerar no molho de soja, o shoyu. O alerta é da pesquisadora de culinária japonesa e professora de etiqueta Lumi Toyoda.

"Quando você mistura raiz forte [wasabi] ao shoyu e aí mergulha o sashimi tudo fica com o mesmo sabor", critica.

De acordo com a professora, a melhor forma de degustar sashimis é colocando uma pitada de wasabi sobre ele e usando o shoyu como complemento. O objetivo é que ele agregue sabor ao prato, e não o substitua.



Curiosidades sobre os Hashis

Os famosos "palitinhos" (hashis), que os japoneses utilizam para comer, foram inventados em uma época em que os homens tinham dificuldades para comer algumas coisas com as mãos.

De acordo com Toyoda, por causa disso, eles passaram a usar gravetos dobrados e amarrados em uma das pontas, um prolongamento do formato de pinça feito no movimento de agarrar. Mais tarde, a ferramenta foi simplificada e tornou-se dois gravetos soltos.

Dica: quando não estiverem em uso, os hashis devem permanecer apoiados sobre a mesa, paralelos à linha do móvel. Para usá-los, o correto é pegá-los pela extremidade traseira com a mão direita (esquerda, no caso dos canhotos), erguê-los, segurá-los na metade com a mão contrária e, por fim, posicionar a mão para comer. Para as mulheres, segurar todos os utensílios com as duas mãos é uma regra, inclusive o recipiente para saquê.

Pessoal eu confesso que não sei comer com estes "palitinhos" e acho mais bonito pedir talheres do que comer com a mão ou até mesmo ficar derrubando tudo, é minha opinião!

Até a próxima,

Alessandra

Fonte de Pesquisa:




2 comentários:

  1. Oi Ale,

    Já faz uns dias que quero comentar este post, mas não tinha sobrado tempo...

    Este caso do sódio é muito sério.

    Como você sabe, tive pré-eclampsia na gravidez e recebi um enorme sermão sobre o consumo de sódio.
    Nós, brasileiros, tendemos a pensar que devemos cortar o sal para evitar a hipertensão (sequela que convivo até hoje). No entanto, esquecemos de conferir o sódio dos alimentos.
    Eu, que tive que conferir cada embalagem, na época, me espantei, alimentos como: pão de forma (mesmo o integral), enlatados, congelados, embutidos (estes então...) etc.
    Quem começar a pesquisar as embalagens vai tomar o susto de uma vida. Eu tomei!
    A melhor coisa é fazer da leitura dos componentes um hábito. Principalmente que tem condições específicas que requeiram restrições alimentares.
    Assunto super sério. Super informativo.
    Bjs
    Dani Castro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dani,
      É verdade, Graças a Deus não sofro deste mal, mas minha família sim e pode ser que um dia venha a sofrer também, então é melhor começar a verificar desde já as embalagens, como você mesma disse, não custa nada, mas pode me trazer benefícios no futuro próximo ...
      Beijinhos e obrigada pelo comentário,
      Alê

      Excluir

Deixe um comentário, uma sugestão ou crítica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...