sábado, 28 de abril de 2012

Resultado do 1º Sorteio no Blog da Família Frota Guedes

Agradecimento e resultado do sorteio



Agradecemos a todos nossos seguidores que nos prestigiaram e acreditaram no nosso trabalho nestes três meses de blog.

Este sorteio foi uma forma que encontramos para agradecer os seguidores que sempre passam para comentar o post ou somente para nos visitar.
 
Aos que estão chegando agora, sejam bem vindos ao nosso cantinho, e não fiquem tristes se não conseguiram participar, faremos outros, ok?

Resultado do Sorteio:
O vencedor na verdade é uma ganhadora:

Parabéns Madalena Schutze, você tem 48 horas para reclamar seu prêmio, caso contrário, sortearemos outra pessoa.

"A gratidão é o único tesouro dos humildes." William Shakespeare

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Falso e-mail circulando na rede sobre o WD-40


Mais um e-mail falso circulando na rede, agora sobre o WD-40

 
Pessoal, acabei de receber um e-mail sobre o WD-40, onde entre outras coisas diz que, algumas pessoas, aplicam o WD-40 nas mãos, braços e joelhos para aliviar dores de artrite ou para aliviar o ardor da picada de formiga.
 
A empresa afirma que o produto não foi criado para fins medicinais, mas sim para uso doméstico e industrial, ou seja, não deve ser aplicado em picadas de inseto, queimaduras ou qualquer tipo de ferimento. A empresa não recomenda, de forma alguma, que WD-40 seja usado na pele para curar ou aliviar sintomas de doenças.

Entretanto, as outras dicas (que não envolvem a saúde) são todas VERDADEIRAS. WD-40 pode ser aplicado em parafusos e até para espantar pombos.

Outra mentira que consta no e-mail é que o WD-40 é feito com óleo de peixe. A fórmula de WD-40 não contém nenhum tipo de extrato animal, apenas mineral. Os compostos que formam o WD-40 são a base de derivados de petróleo, juntamente com uma fórmula secreta, conhecida por apenas 3 pessoas no mundo. Na realidade, WD-40, é uma mistura de concentrados químicos complexos diluídos em um destilado de petróleo de alta qualidade. Não contém silicones ou lanolinas de qualquer espécie. É mais fino do que a água e penetra na peça, não deixando a mesma com aspecto de gordura como os óleos comuns.

A história do WD-40

Em 1953, a pedido da NASA (Agência Aeroespacial Americana), a Convair desenvolve um produto resistente à corrosão para a manutenção e uso na indústria aeroespacial chamado WD-40. O nome vem de Water Displacement - dispersor de água em inglês - e o nº 40 é resultado da 40ª tentativa.

No ano de 2000, a Theron começou a produzir o WD-40 no Brasil, em consequência o custo caiu e as vendas aumentam chegando a 1 milhão de latas no ano de 2007.

Somente 3 países têm fábricas de WD-40: EUA, Brasil e Inglaterra. Como já dito, a fórmula do WD-40 é secreta e conhecida por apenas 3 pessoas no mundo, mesmo assim, cada uma delas tem apenas uma parte da fórmula, esta aliás, que permanece inalterada há 55 anos, ou seja, desde a sua criação.

Onde utilizar WD-40

USO EM AVIÕES, CARROS E MOTOS

Feito para conservar carros, motos e aviões, WD-40 protege desde as dobradiças até o motor, também facilitar a retirada de parafusos, revigora plásticos e as áreas cromadas. Pode ser usado em todo tipo de veículo sem agredir borrachas e a pintura. Após a lavagem, aplique WD-40 no motor e nas partes móveis, ele mantém o seu veículo longe da ferrugem.

USO EM MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E ELETROELETRÔNICOS

Excelente para soltar parafusos e destravar mecanismos, WD-40 protege desde painéis até as engrenagens, não ataca nenhum tipo de material e é indicado para ser usado em qualquer superfície. Não conduz eletricidade até 12.000 Volts e pode ser aplicado em equipamentos elétricos e eletrônicos. Sempre que trabalhar com máquinas e equipamentos, use WD-40.

Perfeito para diversas atividades dentro de casa e escritório, WD-40 protege desde o circuito do portão até as dobradiças e portas de correr. Também destrava cadeados e fechaduras, remove lâmpadas enferrujadas, elimina umidade de aparelhos elétricos e eletrônicos, além de remover adesivos. Elimina umidade em celulares

USO EM EMERGÊNCIAS

Evita curto-circuito em aparelhos de cozinha e tomadas de panelas elétricas molhadas e remove água de equipamentos elétricos atingidos por enchentes.

Mantém quadros de luz livres da umidade e as conexões da mangueira livres da ferrugem.

USO EM PESCA E NÁUTICA

Ótimo para manter os equipamentos de caça, pesca e náutica prontos para a ação, WD-40 protege os equipamentos de caça desde o esmalte até a munição, também pode ser usado para descarbonizar e lubrificar a arma. Na pesca e náutica, mantém o equipamento sempre em perfeito estado de conservação, desde anzóis e carretilhas até o motor do barco. O Hobby do WD-40 é o seu lazer.

Pode ser usado para eliminar a umidade em antenas, âncoras, guarda-mancebos, painéis, caixas de fusíveis, peças de inox, polos de baterias e roldanas. Até mesmo para fazer "pegar" imediatamente motores de popa molhados.

USO EM ARMAS DE FOGO

Usado para proteger a arma da umidade e da ferrugem, antes de guardá-la ou para lubrificar as partes móveis e eliminar os vapores da queima do cartucho.

Observação: Não há necessidade de remover o WD-40 quando precisar usar a arma novamente.

USO GERAL

• Separa copos grudados (lave os copos antes de usar);
• Solta anéis presos no dedo;
• Solta nozes, castanhas e sementes das ferramentas de jardim;
• Remove manchas de café e tinta do couro;
• Remove chicletes do concreto;
• Remove resíduos de cola de fitas adesivas, inclusive do cartão de crédito;
• Remove batom do carpete e do tecido;
• Limpa manchas de limo do banheiro e evita a formação de mofo em madeiras;
• Mata formigas (uso abundante).

USO EM LIMPEZA

• Remove parafina de pranchas de surf;
• Limpa grelha de churrasco e remove graxa das mãos;
• Limpa e lubrifica cordas de instrumentos musicais;
• Remove manchas de sangue, óleo, chiclete e cola de adesivo;
• Revigora móveis de plástico;
• Mata-barata, mata-carrapatos e mata-cupins e evita ninhos de vespas;
• Remove riscos de caneta, canetinha e giz de cera da parede (em paredes porosas madeira / alvenaria com tinta à base d'água podem ocorrer manchas);
• Limpa e dá brilho em estofados, sapatos e jaquetas de couro;
• Mantém as ferramentas de jardim longe da ferrugem;
• Remove chiclete da parede (em paredes porosas como madeira e/ou alvenaria, com tinta à base d'água, pode ocorrer manchas).

NÃO RESSECA AS BORRACHAS, NÃO ATACA A PINTURA, NÃO AGRIDE A MADEIRA, PLÁSTICOS E TECIDOS. PODE SER USADO EM CONTATOS ELÉTRICOS.

E aí gostaram das dicas e utilidades? Aqui em casa é um produto que nunca falta ... é bem útil mesmo!

Até a próxima,

Alessandra

Fonte de Pesquisa

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Mitos - "Mercado Negro" de órgãos e a Morte Encefálica


Talvez você já tenha recebido um e-mail com uma história de homem que estava num bar e encontra uma bela garota que o convida para ir até seu apartamento e, após uma bela noite de "drinks" e outros prazeres, acorda em uma banheira cheia de gelo e descobre em suas costas duas incisões cirúrgicas indicativas de que os seus rins foram removidos por uma "predadora de órgãos" a serviço de um "mercado negro" que alimenta uma rede clandestina de transplantadores.

Este e-mail é mais um dos inúmeros mitos que recebemos pela Internet, porém este costuma assustar e "fazer a cabeça" de alguns leigos, apesar de estar cheio de imprecisões:

1º Uma incisão para remover os rins de um doador vivo ou não nunca é feita nas costas;
2º O gelo na banheira entra nesta história da mesma forma como Pilatos entrou no Pai Nosso;
3º Por conta da complexidade de procedimentos médicos e burocráticos na remoção de um órgão de um doador e implante em um receptor existe a necessidade de uma equipe numerosa de profissionais com modernas facilidades operacionais e faz com que uma pirataria como a subentendida seja impossível, mesmo porque precisa haver a compatibilidade entre doador e receptor.

Crédito da Imagem: http://www.adote.org.br

Outro mito que assusta muita gente diz respeito a possibilidade de alguém "voltar" de uma situação de morte encefálica (vide mais informações clicando aqui). A morte ocorre quando o encéfalo (cérebro e tronco cerebral) morre o que pode ocorrer por duas vias: o coração e os pulmões param de funcionar ou o encéfalo para de funcionar. Este para de funcionar em decorrência de um trauma grave. Nestas circunstâncias o coração e o pulmão podem ser mantidos funcionando com suportes somente disponíveis nas UTI’s.

Morte encefálica é um critério médico, ético e jurídico aceito. Esses critérios podem mudar com o tempo. Considere que há poucas décadas passadas ninguém voltava de uma parada cardíaca. Hoje, as técnicas de reanimação são aplicadas rotineiramente e com sucesso, até mesmo por não médicos.

Vale ressaltar que:

1.) A princípio não existe restrição de idade cronológica para o aproveitamento de órgãos para transplante. O que importa é o estado fisiológico do mesmo.
2.) Todas as religiões são favoráveis a doação de órgãos como um ato de amor ao próximo e de caridade. A decisão de ser ou não doador é pessoal.
3.) A doação não favorece aqueles que têm mais dinheiro. Talvez você consiga vender um dos seus rins, mesmo que essa prática seja absolutamente proibida no Brasil. Contudo, o comércio de órgãos de doador não vivo é inviável na prática por uma série de razões, incluindo compatibilidade biológica, tempo de preservação dos órgãos, número de profissionais envolvidos em um transplante etc. Não existe nenhum caso confirmado de comercialização de órgãos de doador não vivo. O comércio de órgãos de doador vivo é legal em alguns países e tolerado em outros. Não no Brasil.

Enquanto a indicação para um transplante e o sucesso do procedimento tem aumentado, o número de doadores cresce muito lentamente. Como resultado, muitas pessoas morrem na lista de espera antes de conseguir um doador.

Uma das formas de mudar esse quadro é ajudar cada brasileiro a adotar uma decisão informada e consciente a respeito da doação de órgãos e transplantes aprendendo mais sobre o tema, pensando nisto, vou montar uma matéria para explanar melhor este assunto sobre doação e transplante de órgãos.

Peço que, enquanto isto, pensem no assunto e conversem com seus familiares sobre esta possibilidade.

Fiquem em Paz,

Alessandra

Fonte de Pesquisa

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Jaqueline Roriz – a deputada que “escapou” da cassação

Biografia

A Deputada Jaqueline Maria Roriz (PMN/ DF) nascida em 18 de agosto de 1962 é natural de Luziânia-GO. Empresária do ramo agropecuário, Jaqueline é formada em pedagogia pela UniCEUB, tem dois filhos e é casada com o empresário Manoel Neto.

Ela é filha do ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Domingos Roriz e Wesliam Perpétuo Socorro Peles Roriz, e é irmã da deputada distrital Liliane Roriz.

Seu pai Joaquim Roriz, que governou o Distrito federal por 14 anos, foi impedido de concorrer ao governo nas últimas eleições barrado pela Ficha Limpa. Em 2007 ele renunciou ao mandato de senador para escapar de processo disciplinar semelhante ao da filha.

Jaqueline disputou sua primeira eleição em 2006 pelo PSDB elegendo-se deputada distrital do Distrito Federal e em 2009 filiou-se ao PMN.

Nas eleições distritais no DF em 2010 elegeu-se deputada federal com a terceira menor votação.

Durante o ano de 2011, o primeiro de seu mandato como deputada federal, Jaqueline esteve presente em 83 sessões plenárias das 107 sessões deliberativas. Das suas 24 ausências justificou 13 como missões autorizadas pela Câmara em comunidades e outros projetos de parlamentar. Nas comissões, a deputada participou de 57 das 70 sessões (81,4%) e deixou de justificar 10 delas.

Jaqueline é titular da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional e de Reforma Política, e suplente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

O mensalão do DEM - Operação Caixa de Pandora

O chamado mensalão do DEM é o resultado das investigações da Polícia Federal na Operação Caixa de Pandora. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada.

No dia 4 de março de 2011, o jornal Estado de São Paulo divulgou um vídeo, gravado em 2006, que flagra a deputada Jaqueline Roriz (na ocasião deputada distrital), ao lado do marido Manuel Neto, recebendo um maço de dinheiro (50 mil reais) para a campanha das mãos de Durval Barbosa, delator do Mensalão do DEM e ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal do Governo de José Roberto Arruda.

Em 8 de junho de 2011 o Conselho de Ética aprovou um relatório sugerindo a cassação do mandato de Jaqueline Roriz por quebra do decoro parlamentar.

No dia 30 de agosto de 2011, em votação secreta, parlamentares rejeitaram o relatório do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que pedia a perda de mandato (cassação), aceitando o argumento de que na época da gravação (2006) ela ainda não tinha mandato como deputada federal.

Para que Jaqueline perdesse o mandato, era necessária a concordância da maioria absoluta dos deputados, ou seja, 257 votos (mais da metade dos 513 parlamentares da casa).

* Se a cassação tivesse sido aprovada, Jaqueline ficaria inelegível por oito anos. *

Crédito da Foto: Valter Campanato da Agência Brasil

A votação

No início da sessão, a pedido de deputados, o presidente da Câmara Marco Maia (PT-SP) determinou a retirada de câmeras do plenário, com a finalidade de evitar que os votos dos parlamentares fossem revelados, depois voltou atrás e autorizou o retorno das câmeras.

A votação secreta ocorreu por processo eletrônico, pelo qual os deputados, da própria bancada, apertavam um botão para votar a favor ou contra.

O autor do relatório que pedia a cassação de Jaqueline Roriz, o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), foi o primeiro a falar. Ele defendeu a cassação sob o argumento de que, embora tenha acontecido antes da eleição, o fato que motivou o processo de cassação só veio a tona em março de 2011, durante o exercício do mandato da deputada.

Durante a votação sobre o destino da deputada, manifestações em Brasília pediam a sua cassação.

A própria Jaqueline não acompanhou toda a votação, deixando o Congresso Nacional pouco antes das 20h. Em seu favor, apesar de um quórum de 451 votantes, 20 deputados se abstiveram de votar, entre eles: deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP), citada recentemente em suspeitas de desvio de recursos de um convênio no Ministério do Turismo, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e réu no processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), João Paulo Cunha (PT-SP), e o próprio corregedor da casa, Eduardo da Fonte (PP-PE).

Os colegas teriam sinalizado que cassá-la por caixa dois abriria precedente para que outros perdessem o mandato.

Jaqueline foi absolvida das acusações de recebimento de dinheiro ilícito e uso da verba de gabinete para o pagamento de aluguel do escritório do marido: foram 265 votos contra, 166 votos a favor e 20 abstenções.

A deputada hoje

Nos corredores da Câmara, nas comissões e no cafezinho, Jaqueline é tratada com carinho, pelos colegas deputados. Os que passam por ela fazem questão de parar, dar um abraço, perguntar "como vão as coisas". Segundo interlocutores próximos à deputada a maioria dos deputados a apoiou durante todo o processo.

Quase 8 meses após escapar da cassação na Câmara dos Deputados, Jaqueline adotou uma postura discreta em seu mandato, sem "aparecer" muito. Falta pouco às sessões plenárias e às comissões e evita entrar em discussões acaloradas.

Pessoas próximas à Jaqueline garantem que o fato de a deputada estar aparecendo menos é uma estratégia da sua equipe. Enquanto ela estiver "esquecida" a chance de uma nova avalanche de críticas e denúncias é menor.

Um exemplo da postura adotada pela deputada após o processo no Conselho de Ética aconteceu quando ela tentava colher assinaturas de deputados para abrir uma investigação a denúncias envolvendo um adversário político. Jaqueline foi aconselhada por colegas e pela própria equipe que aquele não era o momento de se envolver em polêmicas e, muito menos, atacar os adversários.

Ao mesmo tempo, com um mandato discreto, Jaqueline tem aproveitado para visitar as bases eleitorais no Distrito Federal para explicar aos eleitores a situação que passou e "tranquilizá-los".

Uma das cidades que a deputada mais visita é Santa Maria, base eleitoral da deputada, distante 26 km de Brasília.

Jaqueline também viaja muito para visitar o filho, que não mora no Brasil, e em casa evita falar de política.

Mesmo tendo respondido a um processo de cassação, a aprovação da deputada federal não diminuiu no último ano. Uma pesquisa feita com 900 pessoas, de 4 a 7 de novembro e divulgada em 9 de novembro pela O&P mostrou que a deputada ainda é a terceira parlamentar da Câmara em aprovação, com 7,2%.

Jaqueline perdeu para Antônio Reguffe (PDT), que teve 31,1% de aprovação, e Erika Kokay (PT), que atingiu 8,7%. Na época, o assessor de imprensa da deputada considerou o número muito positivo.
 
Requerimento de criação da CPI mista do Cachoeira

A Mesa do Congresso Nacional divulgou nesta sexta-feira, 20, a lista dos parlamentares que assinaram o requerimento de criação da CPI mista do Cachoeira. Foram 72 dos 81 senadores e 396 dos 513 deputados. Em uma investigação com tanto apoio chama mais atenção quem não rubricou o requerimento, neste grupo, que não apoiou o pedido de investigação, estão alguns personagens de outros escândalos:

- Jaqueline Roriz (PMN-DF);
- Valdemar da Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT), ambos réus no processo do mensalão em andamento no Supremo Tribunal Federal;
- Zeca Dirceu (PT-PR), deputado paranaense e filho de outro réu, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. O ex-ministro prestou consultoria à empresa Delta, uma das envolvidas no escândalo que levou à prisão do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira;
- Eduardo Azeredo (PSDB-MG), parlamentar mineiro envolvido em outro mensalão;
- Paulo Maluf (PP-SP), ex-governador e réu em algumas ações no Supremo Tribunal Federal (STF).

Como já disse anteriomente, não estou aqui para julgar ninguém, apenas mostro os fatos, não sou e nem tenho pretensão de ser política, cada um que tire suas próprias conclusões!

Alessandra

Faça a sua parte: clique aqui e assine agora a Petição Pública pelo início do julgamento do "Mensalão" no STF. Não esqueça de confirmar a assinatura após o recebimento do e-mail.



Fontes de Pesquisa:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...