terça-feira, 3 de abril de 2012

Pílula - Anticoncepcional Oral


A pílula contraceptiva oral é também conhecida como pílula anticoncepcional ou simplesmente pílula.

Os anticoncepcionais atuam evitando que ocorra a ovulação (liberação de óvulo pelos ovários), que se dá por volta do 14º dia do ciclo menstrual normal.

Apesar de nenhum método contraceptivo ser isento de riscos, estes tendem a ser mínimos e contrabalançados pelos benefícios. Um bom acompanhamento médico pode ajudar a reduzir os riscos em potenciais durante o uso.

Em março de 1996, um grupo de pesquisadores internacionais reuniu-se para desenvolver um consenso quanto aos parâmetros essenciais no acompanhamento das mulheres em uso de contraceptivos orais e decidiram que se deve:

(1) Prestar atenção especial aos antecedentes pessoais e familiais de doenças e riscos cardiovasculares das pacientes;
(2) Realizar aferições regulares da pressão arterial, uma vez que complicações cardíacas (infarto) e vasculares (tromboembolismo venoso) sabidamente relacionam-se ao uso da Pílula.

Existem vários tipos de pílulas, com diferentes combinações  de hormônios, de dosagens alta ou baixa, que servem para evitar a ovulação da mulher, porém existem várias perguntas que só o seu médico poderá responder ainda mais porque as dúvidas são tantas que muitas vezes é difícil separar os fatos dos mitos.


Abaixo selecionei algumas das questões mais comuns envolvendo a Pílula:

* Verdade ou Mentira*

01 Parar de tomar pílula pode causar acne: As pílulas reduzem os níveis sanguíneos de androgênios e, dessa forma, podem colaborar para diminuir a gravidade da acne. Por outro lado, como não existem verdades absolutas na medicina, em algumas raras mulheres a acne pode ser um efeito colateral da pílula.

02 Alguns remédios podem anular o efeito do anticoncepcional: Sabe-se que a ampicilina (antibiótico bastante comum e utilizado no tratamento de infecções urinárias, faringoamigdalites  e pneumonias) e várias drogas anticonvulsivantes (utilizadas no tratamento de diversas formas de epilepsia) podem diminuir a eficácia dos anticoncepcionais orais. A mulher deve sempre informar ao médico caso faça uso de outros remédios.

03 Mulheres que usam pílula têm maior risco de câncer de mama e de útero: O risco de câncer de mama é praticamente o mesmo entre usuárias e não usuárias. Nos tumores malignos do endométrio (camada mais interna do útero) e do ovário, a pílula exerce um efeito protetor. As usuárias apresentam metade do risco de câncer de endométrio e ovário das não usuárias.

Entretanto, o uso de contraceptivos orais por mulheres jovens parece associar-se ao surgimento de miomas uterinos (tumores benignos) na pré-menopausa, mas são necessários outros fatores reprodutivos (a pílula não leva a culpa sozinha...).

Quanto à relação entre câncer de cérvice uterina e uso de pílula, parece não existir consenso, alguns estudos indicam um aumento na incidência, mas nada está definitivamente comprovado.

04 Pílula engorda: Ainda que o ganho de peso esteja entre as queixas mais comuns das mulheres, estudos mostraram que isto pode não ser completamente verdadeiro. Uma pesquisa recente avaliou a variação de peso de 128 mulheres em uso de contraceptivos orais durante 4 meses e descobriu que 72% das pacientes não apresentaram qualquer alteração de peso no final do período.

05 Pílula faz mal para o cabelo: Não existem evidências científicas comprovando este fato.

06 Pílula x Varizes: Os anticoncepcionais possuem diversos efeitos sobre o sistema cardiovascular e é possível que estejam envolvidos de alguma forma no desenvolvimento de telangiectasias (vasos), mas as pesquisas produziram resultados controversas até o momento.

07 Depois que comecei a tomar a pílula, meu humor mudou: Podem ocorrer náuseas, dor de cabeça, dor nos seios, sangramentos vaginais irregulares e depressão nos primeiros meses de uso da Pílula, mas estes efeitos colaterais frequentemente cessam após alguns meses.

08 A Pílula pode ser usada no tratamento da endometriose: As pílulas realmente fazem parte do tratamento não cirúrgico desta doença. Progestinas isoladamente podem ser úteis e são a primeira escolha de muitos especialistas.

09 Depois que comecei a tomar a pílula, não tive mais cólicas menstruais: A cólica menstrual (chamada de dismenorréia pelos médicos) é menos frequente nas mulheres que não ovulam. Por isso, as pílulas podem ser úteis em 75% dos casos de dismenorréia. Quando a pílula é suspensa, as mulheres geralmente sentem a mesma intensidade de dor que apresentavam antes do seu uso.

Todavia, algumas mulheres informam à ocorrência de hipermenorréia (sangramento prolongado, acima de 8 dias, ou quantidade excessiva) e a falta de controle de problemas no ciclo menstrual, caracterizada principalmente por sangramentos irregulares e menstruações dolorosas. Esta, aliás, é uma das principais razões de suspensão do uso.

10 Mulheres que tomam Pílula demoram mais para engravidar quando param: O retorno à fertilidade em mulheres que interromperam o uso de anticoncepcionais leva mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, mas não parece haver prejuízo da fertilidade como um todo.

11 Com o tempo, a Pílula ajuda a proteger os ossos: Algumas pesquisas têm mostrado que o uso de altas doses de anticoncepcionais em mulheres após a menopausa diminui o risco de fraturas e suspeita-se que seu uso possa melhorar a densidade mineral óssea em mulheres jovens, mas faltam maiores comprovações científicas.

12 Mulheres com doença falciforme não podem tomar Pílula: Mulheres com drepanocitose (doença genética, falciforme) frequentemente não fazem uso de contraceptivos orais contendo estrogênio e progesterona, pois se preocupam com a possibilidade dos hormônios piorarem a doença. Estudos laboratoriais não encontraram evidências comprovando este temor.

13 Mulheres com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) não devem tomar Pílula: Os contraceptivos orais podem precipitar episódios de LES em mulheres portadoras desta doença.

14 Tenho mais de 40 anos e acabei de ter minha última menstruação. Não preciso mais tomar pílula: Perigo! Este tipo de comportamento está arriscado a ser premiado com uma gravidez indesejada. Nas mulheres que estão entrando na menopausa, recomenda-se ainda o uso das pílulas por 12 meses após a última menstruação.

15 A Pílula pode piorar a asma: As alterações nos níveis hormonais parecem ter um papel importante na gravidade da asma nas mulheres e cerca de 35% das mulheres apresentam flutuações na gravidade das crises relacionadas ao ciclo menstrual. A crise tende a ocorrer três dias antes e durante os quatro dias da menstruação. Os anticoncepcionais orais podem ajudar estes casos, nivelando as flutuações hormonais.

Precauções e Contraindicações no uso de Contraceptivos orais

Antes de iniciar o uso dos contraceptivos você deve discutir com seu médico qual o melhor método contraceptivo para o seu caso, pois a Pílula, por exemplo, não é recomendada em mulheres com:

- Trombo flebite ou distúrbio tromboembólico ou história de coagulopatia;
- História de acidente vascular cerebral (derrame);
- História de doença arterial coronariana, angina pectoris (isquemia), ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou valvulopatia cardíaca;
- Insuficiência renal;
- Antecedentes ou suspeita de câncer de mama ou câncer estrogênio-dependente em órgãos reprodutivos;
- Gravidez confirmada;
- Tumor de fígado ou Hepatite aguda.

Recomenda-se acompanhamento médico regular e criterioso para as mulheres em uso de contraceptivos orais que apresentem qualquer um dos seguintes itens:

- Sejam fumantes e tenham mais de 35 anos de idade (os riscos são ainda maiores naquelas que fumam mais de 15 cigarros/dia);
- Enxaqueca após o uso de contraceptivos orais;
- Diabetes ou Diabetes gestacional;
- Cirurgia eletiva de grande porte, com ou sem previsão de imobilização prolongada;
- Sangramento vaginal/uterino de origem obscura;
- Drepanocitose (Anemia Falciforme);
- Mulheres na fase de aleitamento;
- Doenças da vesícula biliar ou icterícia;
- Mulheres com mais de 50 anos de idade;
- Doenças do coração ou rins, ou história familiar (especialmente mãe ou irmãs) de morte por doença cardíaca antes dos 50 anos de idade;
- Histórico familiar de hiperlipidemia (excesso de gordura no sangue);
- Retardamento mental, doenças psiquiátricas, alcoolismo, dependência de drogas ou quaisquer outros distúrbios que dificulte a utilização regular da medicação.

Cada mulher responde de uma maneira própria ao uso de pílulas anticoncepcionais. Em alguns casos,  pode ocorrer retenção de líquidos pela ação dos hormônios contidos no contraceptivo. Isso gera inchaço (sobretudo nos seios, coxas e quadris), que frequentemente é confundido com ganho de peso. Normalmente, essa reação desaparece com algum tempo de uso da medicação.

Se, por outro lado, você tem uma vida sedentária, vale a pena rever os hábitos: muitas vezes, o contraceptivo leva a ‘culpa’, mas, de fato é a  falta de exercícios físicos e uma alimentação desequilibrada os verdadeiros vilões da história.

É imprescindível consultar um médico ginecologista antes de optar pelo anticoncepcional: somente ele poderá avaliar suas condições clínicas e, assim, prescrever a melhor pílula para você.

ATENÇÃO! A pílula não previne contra as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), como por exemplo, a AIDS (SIDA). A camisinha ainda é o único aliado nestes casos.


Cuidem-se, com saúde não se brinca!

Alessandra

Fonte dePesquisa:

4 comentários:

  1. estou participando do sorteio de 8G... essa é minha matéria predileta!

    Eu gostei dessa matéria porque pois tenho uma coagulopatia e nem sabia e só soube depois de perder um bb. E a pilula nesses casos é contra-indicada. Médicos ginecologista não se preocupam com isso, eles deveriam antes de receitar pilula fazer exames para saber se as pessoas possuem doenças onde a pilula seria perigosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juli, Bom Dia!
      Concordo com vovê, antes de receitar qualquer coisa 1º deveriam examinar todo nosso histório familiar e é claro os exames.
      Obrigada pelo comentário e por participar do nosso sorteio.
      Sua inscrição foi aceita, verifique seu e-mail e boa sorte!
      Beijinhos,
      Leleka

      Excluir
  2. Gostei bastante, dos mitos e verdade, olha gostei mesmo muito completo e tira muitas duvidas das pessoas..Sobre as mulheres demoram para engravidar depois que param de tomar a pilula minha esposa levou 6 meses para engravidar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michel, bom dia!
      Muito Obrigada por completar a matéria citando o exemplo de vocês...
      Está acontecendo um sorteio aqui no Blog, se quiser participar preencha o formulário constante na matéria: 1º Sorteio no Blog da Família Frota Guedes. Aguardo vocês!
      Leleka

      Excluir

Deixe um comentário, uma sugestão ou crítica.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...